Notícias & Insights

Como os fãs ouvem no mês de Pride

No mês da diversidade e da resistência, o público LGBTQIA+ leva a festa para o Spotify

Foi em 28 de junho de 1969, após uma batida policial em um bar chamado Stonewall Inn, em Nova York, frequentado por um público diverso de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transsexuais, que um grupo resolveu reagir às agressões, preconceito e perseguições, enfrentando a polícia local. O episódio tomou proporções violentas e ganhou apoio da comunidade que foi às ruas exigir igualdade de direitos. O caso ficou conhecido como a Rebelião de Stonewall, e se tornou um marco na luta dos movimentos civis LGBTQIA+, originando o embrião de paradas de orgulho LGBTQIA+ pelo mundo inteiro.

No Brasil, a 1ª Parada do Orgulho LGBTQIA+ aconteceu em 1997, em São Paulo. Hoje em dia, o evento ocorre em todas as regiões do país, acumulando recordes de número de participantes. E dentre tantos eventos e ações afirmativas para a comunidade, não é de se estranhar que a música ocupe um lugar central nas celebrações. Do agito da pista diretamente para os fones de ouvidos, temos alguns dados de 2019 de como o público marcha, festeja e dança pelos seus direitos durante o mês de junho.

Em primeiro lugar, nossos ouvintes estão ativamente criando suas próprias playlists para curtir a trilha sonora da celebração. Durante o mês de junho de 2019, foram criadas mais de um milhão de playlists para o evento no Brasil. Para sermos mais específicos, foram +1M playlists de Pride. O pico de streams foi no dia 28 de junho, justamente o dia de celebração dos 50 anos da Revolta de Stonewall.

O pop aparece como gênero musical favorito dos nossos ouvintes com 55,7% no ranking, seguido de música brasileira com 15,7% e o soul com 7,8% na lista dos favoritos. Deixamos aqui a menção honrosa ao indie com 5,9% e o rock com 4,7%, formando assim o top 5 dos gêneros mais ouvidos do período.

No quesito artistas, Gloria Groove reinou em primeiro lugar. Lady Gaga apareceu na segunda posição dos que tiveram mais streams, fechando com Pabllo Vittar em terceiro, Madonna em quarto e a banda Queen na quinta posição do nosso pódio.

E em se tratando de público, o destaque ficou para os jovens entre 18 e 24 anos que, sozinhos, foram responsáveis por cerca de 50% dos streams do período.

E não é porque estamos em tempos de isolamento social que em 2020 o mês de Pride precisa passar batido. Neste ano, para celebrar o orgulho LGBTQIA+ em casa, o Spotify criou o Hub Pride com muito conteúdo para você fazer sua festa pessoal com as playlists Lacradorxs, Orgulho Tropical, Amar Sem Temer, entre outras. Nesse hub, você também pode ficar informado das novidades com podcasts temáticos e também com a playlist de podcasts Orgulho LGBTQIA+.

Fonte: Dados de First Party Spotify, junho de 2019, Brasil

Let’s talk